sexta-feira, 30 de maio de 2014

A FARRA DO CIRCO - O FILME

O filme A farra do Circo enfoca o período 1982-1986 do Circo Voador e está em exibição todos os dias na Fundição Progresso, além dos cinemas.

O filme traz a época em que Perfeito Fortuna era um dos comandantes da lona voadora. Maria Juçá, que lançou recentemente o livro Circo Voador - A nave, anuncia também sua versão cinematográfica da história. Conversei com os dois e com os diretores do filme.

Importante: Fortuna falou de Juçá, Juçá respondeu Fortuna. O livro dela (um relato excelente, por sinal) continua à venda. O filme dele continua passando. Ninguém mandou ninguém calar a boca, nem tirou nada (livro e filme) de circulação. E depois Roberto Carlos que é o "rei".

Do lado do textinho acima, você ainda confere a matéria que Leandro Souto Maior fez com a atriz que está interpretando Cássia Eller num musical. O link original está aqui.


FILME A FARRA DO CIRCO ESTREIA COM BÊNÇÃO DE PERFEITO FORTUNA
Longa traz Circo Voador entre 1982 e 1986 e será exibido na Fundição Progresso
Publicado em O Dia em 29 de maio de 2014

A exibição para convidados do filme A farra do Circo anteontem, na Fundição Progresso, não serviu para reconciliar os ex-amigos Perfeito Fortuna (um dos criadores do Circo Voador, cujos quatro primeiros anos são relatados no filme) e Maria Juçá (diretora do Circo). Brigados desde os anos 80, os dois mostram visões diferentes sobre seus períodos à frente da lona. O filme de Roberto Berliner e Pedro Bronz enfoca os quatro primeiros anos do Circo e deixa Juçá de fora.

Fortuna afirma não ter lido Circo Voador — A nave, livro no qual Juçá conta sua história sobre o espaço e dá puxões de orelha públicos nele. “Nem me interessei. Ela se apropriou de uma história e é isso. Apenas sigo minha direção”, responde Fortuna.

Juçá, que prepara sua versão cinematográfica da história com o filme A nave, dirigido por Tainá Menezes, assistiu à Farra e o considera “uma versão legal e honesta daquela época do Circo. Mas não me apropriei de nada. Conto ali a minha versão. Até desapropriei, na realidade. Botei outras pessoas para contarem suas versões. O Perfeito é que se apropriou do Circo e entregou a casa falida, como conto no livro”, devolve Juçá, dizendo não ter sido convidada para o lançamento na Fundição.

Berliner começou a filmar o Circo em 1982, quando a lona era no Arpoador. “Eu fazia parte de um dos grupos de teatro e comecei a achar aquilo interessante. O filme tem planos longos, não tem narração, pega um pedaço pequeno do material”, relata. Ele e Bronz já haviam dirigido Herbert de perto, sobre Herbert Vianna, dos Paralamas. “Conheci o Herbert nessa época, no Circo”, diz o diretor.

Imagens raras de shows de Paralamas do Sucesso, Celso Blues Boy, Barão Vermelho e até do grupo de teatro Asdrúbal Trouxe o Trombone — lançando o LP A farra da Terra, de 1983 — estão lá. O encerramento do longa se dá com a viagem do Circo para a Copa do México, em 1986, interrompida abruptamente pela desistência da Coca-Cola mexicana de patrocinar a delegação. “Mostramos uma época em que o espírito era mais horizontal do que vertical”, afirma Bronz.

Além dos cinemas, Fortuna afirma que o filme será exibido diariamente na Fundição, às 19h.

Nenhum comentário:

Postar um comentário