sexta-feira, 18 de julho de 2014

SUBÚRBIO ALTERNATIVO, DJ TERROR

O Dia avisou quando o bar Subúrbio Alternativo, que leva bandas de rock para tocar ao vivo na rua, em Brás de Pina, foi inaugurado. E comemorou agora quando o bar comemorou um ano.

Segue aí a matéria que fizemos na semana passada, para avisar que o rock nas ruas da Zona Norte do Rio completou um ano - com direito a bandas gringas fazendo lotar a calçada (link original da matéria aqui).




EM BRÁS DE PINA, O ROCK É EM PLENA RUA E PARA TODOS
Bar Subúrbio Alternativo completa um ano com shows variados, todos gratuitos e ao ar livre, inclusive de bandas estrangeiras
Publicado em O Dia em 07 de julho e 2014

Guitarras, barulhos, distorções e afins em plena rua. É o que se pode ouvir todo fim de semana em Brás de Pina, na porta do bar Subúrbio Alternativo. O local completa um ano em agosto. Mas o comandante da casa, o DJ Terror (ou Dailson Sabino, seu nome verdadeiro) adianta as comemorações em um mês por causa do seu aniversário de 45 anos, festejados no próximo sábado, com show da banda oitentista Finis Africae.

Os shows são todos gratuitos, e na rua mesmo. “Geralmente, os donos de casas de shows querem 50% da bilheteria e só programam bandas cover, nada de artistas autorais novos. Aqui, como é grátis, lota bastante. E os novos têm lugar”, conta. O tal lugar é o mesmo por onde passam bandas gringas como a americana Coke Bust e a finlandesa Terveet Kadet. As duas tocaram também com entrada franca.

“O Terveet tinha uma turnê no Brasil e quis tocar aqui. Arrecadei com amigos dinheiro para passagem e transporte. Já vieram dez bandas gringas, com 500 a 600 pessoas na rua”, conta ele, esperando uma multidão igual nos shows de duas atrações brasileiras: o grupo Black Dog, cover do Led Zeppelin (dia 16) e a banda punk Lobotomia, que comemora três décadas (dia 20). “A gente também passa a sacolinha entre os fãs na rua, e a grana vai para as bandas.”

E vem mais aí: Terror está alugando uma casa na Penha para montar um misto de loja roqueira (com produtos como camisetas e skates à venda) e estúdio. “O rock sempre me deu muitas alegrias, só não me deu dinheiro. Continuo tendo que trabalhar em outras coisas. Mas, como dizem, quem tá no rock é pra se f...”, brinca.

***

Quando o bar surgiu, fizemos a matéria abaixo - saiu no Guia Show e Lazer. Se você ainda não foi ao Subúrbio Alternativo, vá.





Nenhum comentário:

Postar um comentário