quarta-feira, 24 de setembro de 2014

PAPO COM ROSS LYNCH (R5)

Entrevista com Ross Lynch, do grupo R5, que toca no Citibank Hall. Curtam aí, fãs da banda (roqueiros, caiam fora daqui!!).

Saiu no jornal
O Dia, onde trabalho.


BANDA R5 MOSTRA SEU POP ADOLESCENTE NO CITIBANK HALL
Grupo se popularizou em séries como Austin & Ally
Publicado em O Dia em 23/09/2014

Quando crianças, os irmãos Riker, Rydel, Rocky e Ross Lynch faziam apresentações para a família na garagem de casa, no Colorado (EUA), cobrando um dólar de entrada. O sonho de infância virou banda de verdade, o R5 — com o acréscimo do amigo Ellington Ratliff. E o grupo toca em São Paulo (4 de outubro) e no Rio (dia 5, no Citibank Hall). 

“Nem foi algo que partiu de influência da nossa família. Gostamos de música desde crianças e fomos atrás”, conta Ross, por telefone, para O DIA, aproveitando para mandar uma mensagem para as fãs brasileiras. “Amamos vocês e mal podemos esperar para nos encontrarmos no show!”

O R5 ficou popular primeiramente pela TV, antes até do nome R5 existir. Os integrantes apareciam em comerciais desde pequenos. Na telinha, também fizeram participações em programas como o show de dança So you think you can dance. Ross, o mais popular do grupo, é o rockstar da sitcom Austin & Ally, do Disney Channel — interpreta Austin, canta o tema de abertura (Can't do it without you) e é envolvido em boatos de namoros com sua colega Laura Marano, a Ally (a dupla sempre desmente tudo).

“É tanto trabalho que não faço muita coisa além de atuar e escrever música, hoje em dia”, diz Ross, ainda espantado com o que alguns fãs são capazes de fazer para atrair a atenção do R5. “Uma vez, estávamos numa autoestrada e o pai de uma fã buzinou e fez gestos para que parássemos para uma foto. Como estávamos indo para um ensaio, fizemos mais gestos para que eles nos seguissem até o estúdio. Tiramos a foto lá!”

O grande hit do grupo, com mais de 12 milhões de views, é (I can’t) Forget about you, mas o repertório do show traz também — em meio aos gritinhos das adolescentes — as músicas do novo EP, Heart made up on you. As preferências musicais dos rapazes (e da garota Rydel), todos entre 18 e 22 anos, incluem artistas da época dos seus pais e avós (Beatles, Elvis Presley, Rolling Stones). Ultimamente, andam ouvindo Prince.

“É o que ouvimos mais. Mas imagino uma coisa bem ligada ao Queen e aos Stones no próximo disco”, anuncia Ross. Queen, por sinal, é influência de dez entre dez das bandas recentes — gente como fun., Muse e vários grupos emo. “Pois é, o Freddie Mercury era um grande vocalista, e ia além da música. Adoramos.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário