segunda-feira, 3 de novembro de 2014

QUARENTA (+1) SONS LEGAIS FEITOS POR TRIOS

Em primeiro lugar, segue aí um lembrete: o termo power trio JAMAIS (eu escrevi JAMAIS) deve ser usado em vão. Ele foi criado para referir-se apenas ao Cream, banda com três músicos de ponta: Eric Clapton (guitarra), Jack Bruce (voz, baixo) e Ginger Baker (bateria). Grupos que incluem instrumentistas de alto calibre, como James Gang, Police, Jimi Hendrix Experience e, no Brasil, Paralamas do Sucesso, pedem de certa forma o uso do termo. Mas Green Day, por exemplo, nunca será um power trio. E muitas vezes é possivel ver o (bom) grupo punk americano sendo definido com o termo.

Dito isso, vai aí nossa homenagem tardia ao grande Jack Bruce, morto no sábado retrasado e um grande monstro do baixo: vários trios (incluindo o Cream e mais uma boa fornada de power trios) e quarenta de suas melhores músicas. Entre eles, muitas bandas que em algum momento de suas carreiras foram trios. Ouça aí. Faltou alguma?



"WHITE ROOM" - CREAM. Uma das melhores músicas do protótipo de power trio - sobre isso você já leu lá em cima.

"ARE YOU EXPERIENCED?" - THE JIMI HENDRIX EXPERIENCE. Dispensa apresentações.

"WAIT UNTIL TOMORROW" - THE JIMI HENDRIX EXPERIENCE. Idem, mas vale dizer que consideramos Axis: bold as love (1967) o melhor disco de Hendrix. E um dos mais sublimes momentos dos anos 60.

"SUMMERTIME BLUES" - BLUE CHEER. Nem sempre o Blue Cheer foi um trio - teve várias formações, capitaneadas pelo baixista Dickie Peterson. Nessa época, relendo esse clássico de Eddie Cochran que também foi gravado pelo Who, eram três caras que faziam rock distorcidíssimo e barulhento. Pura selvageria.

"BLACK CHANDELIER" - BIFFY CLYRO. Novidade bacana no mundo dos trios. Tocou no Brasil recentemente.

"PUMPED UP KICKS" - FOSTER THE PEOPLE. Vai como menção honrosa: esse grupo de indie-pop é hipster até a medula. O líder Mark Foster era compositor de jingles antes de montar a banda. E aqui bem que ele conseguiu fazer um refrão bacana e, digamos, vendedor.

"REGATTA DE BLANC" - THE POLICE. Um trocadilho com o rótulo "reggae de branco" que o trio inglês ganhou na época. E um excelente tema instrumental entre o progressivo e a new wave.

"TENDO A LUA" - PARALAMAS DO SUCESSO. Os Paralamas nessa época já eram um trio expandido, com tecladista (João Fera) e a turma dos metais e da percussão. Mas vale a menção desse hit do disco Os grãos (1991). Grande tributo, de certa forma, ao soul brasileiro dos anos 70, já que segue na cola de Voo sobre o horizonte, hit instrumental do Azymuth de 1977.


"PARANOID" - GRAND FUNK RAILROAD. Outra banda que já variou de trio para quarteto e até quinteto. Essa música tem um dos riffs mais matadores da história do rock. E saiu quase um ano antes do Paranoid do Black Sabbath.

"SPIRIT OF THE RADIO" - RUSH. Dispensa apresentações. É a música que fez muita gente conhecer o Rush ao redor do mundo.

"ON A PLAIN" - NIRVANA. Uma das melhores músicas do disco Nevermind (1991), mas longe de ter feito sucesso ou virado single.

"BLACK CLOUD" - TRAPEZE. Eles já foram quarteto e quinteto. Mas na época do segundo disco, Medusa (1970), eram um trio com o sensacional Glenn Hughes (voz, baixo, teclado), Mel Galley (voz, guitarra) e Dave Holland (bateria).

"SUITE: JUDY BLUE EYES" - CROSBY, STILLS & NASH. Depois eles viraram um quarteto com a adição do (Neil) Young, mas o que interessa aqui é o começo como trio.

"IT DON'T MATTER TO ME" - BREAD. No comecinho, na época do primeiro disco (Bread, de 1969), eles eram só três. Esse foi um dos primeiros hits.

"FUI EU" - PARALAMAS DO SUCESSO. Paralamas em versão power trio, mas sem gastação de onda.

"IF I CAN'T CHANGE YOUR MIND" - SUGAR. A segunda banda de Bob Mould, do Husker Du, em seu hit de 1993.


"GEEK STINK BREATH" - GREEN DAY. Não, o Green Day NÃO é um power trio - embora muita gente insista em chamá-los assim. Dito isso, vai aí um dos melhores singles do grupo, lançado no CD Imsoniac (1995), cuja letra fala sobre o mau hálito causado pelo abuso de metanfetaminas. No clipe, um coitado aparece arrancando um dente, em closes sangrentos.

"INFINITA HIGHWAY" - ENGENHEIROS DO HAWAII. E por que não? Iletrados musicalmente (à exceção do guitarrista Augusto Licks), os Engenheiros tanto tentaram que conseguiram ser mais power trio que muita banda à direita do rótulo, em discos como A revolta dos dândis (1987) e Ouça o que eu digo, não ouça ninguém (1988).

"LEAVING HERE" - MOTORHEAD. Um clássico gravado por bandas como Byrds, The Who e até Pearl Jam virou um dos primeiros singles do trio inglês, de 1977.

"BROTHERHOOD OF MAN" - MOTORHEAD. Em The world is yours (2010), o grupo pesou, mas baixou o tom e Lemmy Kilmister (baixo/voz) fez até vocal gutural.

"ELEPHANT" - THEM CROOKED VULTURES. O trio formado por Josh Homme, John Paul Jones e David Grohl promete um segundo disco há alguns anos. Enquanto isso não rola, recordemos uma das mais impactantes músicas da estreia da banda, de 2010.

"JERRY WAS A RACE CAR DRIVER" - PRIMUS. Clássico do estranho encontro entre o grunge, o hard rock e a doideira progressiva.

"DA DA DA"- TRIO. Ok, vá lá: impossível esquecer essa banda alemã, cujo grande hit é mais lembrado até do que seus próprios autores. Essa música volta e meia reaparece em trilhas sonoras e em comerciais, quase sempre por razões mais pornofônicas e/ou humorísticas do que musicais.

"FROM THE BEGGINING" - EMERSON, LAKE & PALMER. O hit que inspirou Mania de você, da Rita Lee.


"BRIDGE OF SIGHS" - ROBIN TROWER BAND. Esse guitarrista inglês, que eu entrevistei, foi titular das seis cordas do Procol Harum. E foi considerado o novo Jimi Hendrix quando passou a gravar solo, a partir de 1973. No LP Bridge of sighs, mandou muitos sons bons tendo como base seu próprio Experience, com James Dewar (baixo e voz) e Reg Isidore (bateria). Chegou a gravar com Jack Bruce, no grupo B.L.T. e em fantásticos álbuns em dupla, como Truce (1982) e Seven moons (2008).

"SWEET 69" - BABES IN TOYLAND. Um das melhores e mais sacanas canções desse trio feminino desbocadíssimo.

"SUNSHINE OF YOUR LOVE" - CREAM. Também dispensa apresentações. Jimi Hendrix também gravou.

"A HORSE WITH NO NAME" - AMERICA. Você já ouviu mil vezes. Para muita gente, é o único sucesso do America. Mas não é não. Volta e meia eles reaparecem aqui no Brasil para alguns shows - confira ao vivo.

"WHAT'S MY AGE AGAIN" - BLINK-182. Um dia vão perceber o quanto esses caras eram legais.

"SUGAR MAMA" - TASTE. No começo, na época do primeiro disco (Taste, 1969), eles eram um trio, liderado pelo extraordinário Rory Gallagher (guitarras, vocal, sax e gaita). Viaje nessa..

"TAKE A LOOK AROUND" - JAMES GANG. Liderado pelo guitarrista e cantor Joe Walsh (que depois reapareceria nos Eagles), esse power trio fez sucesso moderado, mas gravou grandes discos.

"LA GRANGE" - ZZ TOP. Apenas ouça.


"SOMEDAY NEVER COMES" - CREEDENCE CLEARWATER REVIVAL. No disco Mardi gras (1972), o Creedence foi um trio - o mais velho dos irmãos Fogerty, Tom, deixara a banda.

"FIRE IN THE RAIN" - AGENT ORANGE. Punk com ouvido para excelentes melodias, como essa.

"COULD YOU BE THE ONE" - HÜSKER DÜ. Sem o trio liderado por Bob Mould, não haveria Nirvana nem Green Day.

"NOT NOW JOHN" - PINK FLOYD. O Pink Floyd era um trio no disco The final cut (1983), com Roger Waters (voz, baixo), David Gilmour (guitarra) e Nick Mason (bateria). O tecladista Rick Wright tinha sido sacado da banda por alegada preguiça criativa. Pior sem ele, como ficou público e notório.

"FUJIYAMA ATTACK" - GUITAR WOLF. Barulheira infernal vinda do Japão.

"BOLL WEEVIL" - THE PRESIDENTS OF THE UNITED STATES OF AMERICA. Você provavelmente conhece só Lump. O primeiro disco dessa alegre banda de Seattle (sim, Seattle teve bandas alegres nos anos 90) ainda tinha coisas bem mais legais.

"LOOSE" - THERAPY?. Punk-metal desencapadão e cerebral. Uma das melhores bandas dos anos 90.

"ANA'S SONG (OPEN FIRE)" - SILVERCHAIR. Um dia vão perceber o quanto esses caras eram legais (2).


BÔNUS:

"REPLAY" - TRIO ESPERANÇA. A melhor música do trio formado pelos outros irmãos da família Corrêa, que gerou os Golden Boys. Saiu na época da copa de 1974 e, graças a Deus, pregava apenas que o time dos cantores era a "alegria da cidade" - e não que a seleção daquele ano, derrotadíssima, seria a felicidade do país.



TODAS AS LISTAS DE QUARENTA:

- quarenta discos de 1974 parte um dois
- quarenta micromúsicas
- quarenta momentos em que a macumba virou pop
- quarenta músicas que você tem que ouvir parte um e dois
- quarenta melhores momentos de Hermes & Renato
- quarenta fatos sobre o Abba
- quarenta discos de 1984 parte um dois
- quarenta fatos sobre o Menudo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário