terça-feira, 16 de dezembro de 2014

COM O PÉ DIREITO

A coluna Com o pé direito, da chefa Karla Prado, ganhou uma Coluna Falada. Segue aí a matéria que fiz com ela no O Dia.


PARA REFLETIR E INCENTIVAR O PRAZER DE LER

Com o pé direito vira Coluna Falada com crônicas lidas para a TV O Dia
Publicado em O Dia em 27 de novembro de 2014



A leitura abre portas que nunca mais serão fechadas. Mas, para quem estiver com preguiça de abri-las, a editora executiva do DIA Karla Rondon Prado dá uma forcinha e leva para o vídeo suas crônicas sobre a simplicidade com a estreia da Coluna falada, amanhã, na TV O DIA , do Dia Online . Ler para o outro e ajudá-lo a fazer descobertas em meio às palavras é o objetivo da titular da coluna Com o pé direito, publicada toda quarta-feira. 

Nessa primeira, a jornalista lê a crônica Ser mãe. O texto, segundo a autora, teve grande repercussão, principalmente quando publicou trechos em sua página no Facebook. O espaço virtual, em pouco mais de dois meses, já tem 9 mil seguidores.

“Acho que ninguém pontua melhor um texto do que seu próprio autor, por isso ter um artigo lido por quem o escreveu ajuda a formar cenários, ver cenas e captar seus sentimentos”, diz Karla, despertada para as crônicas por textos como os de Antonio Candido, que falava delas como escritas por quem anda nas ruas,“pega o miúdo e mostra nele sua grandeza”. “Tenho o hábito de ler desde a adolescência, dos tempos em que fiz teatro e interpretava poesias.”

Comentando e lendo, Karla pretende levar suas palavras para mais gente. “Nem todo mundo gosta ou tem tempo de ler, apesar de a coluna ser uma leitura de cinco minutos”, diz a editora, tendo a inspiração para o texto falado em sua própria família. “Quando pensei em fazer os vídeos, lembrei que minha avó escreveu em braille e traduziu livros de várias áreas para o método. No fim da vida, teve glaucoma e eu lia muito para ela”, lembra. “Há pessoas que não podem ler pelos mais diversos motivos, por alguma limitação física ou preguiça. O áudio incentiva a prestar atenção. E, nas apresentações, falo do que inspirou aquele tema, podem saber o que me levou a escrever aquilo.” 

Essa evolução do papel para o vídeo chega ao DIA num momento em que a prática se torna comum no marketing de editoras, com booktrailers (vídeos do YouTube que trazem autores lendo trechos ou capítulos inteiros de seus livros) anunciando novidades de escritores como o cantor Chico Buarque (leia acima, à direita).

Com o pé direito, a coluna escrita, completou dois anos em junho, sempre com comportamento e sentimentos no radar — algo tão perdido na atualidade, depois de um período longo de ‘hype’.

“Acho que o mundo está um pouco cansado dos excessos e faz parte do amadurecimento focar na vida simples, o que é muito difícil. Minha ideia é dar uma visão otimista e intimista ligada diretamente à cidade e ao seu cotidiano. As pessoas despertaram e estão rejeitando tanta coisa errada e negativa. Está na hora de prestar atenção no próximo.Acho que as palavras-chave dos textos são ‘Rio’, ‘pessoas’ e ‘feminino’”, relata Karla, lamentando que as cronistas femininas, populares na imprensa dos anos 60 e 70, estejam em falta hoje.

As mensagens que a editora recebe dos leitores mostram que apostar no otimismo tem dado certo, para ela e para quem lê a coluna. “Quando você fala de coisas particulares, elas se tornam gerais. Quanto mais íntimo o assunto, mais se identificam.” 

VÍDEOS AJUDAM A DIVULGAR A LITERATURA E AMPLIAR PÚBLICO  “Lê pra mim?” O pedido dos filhos a seus pais inspira vários projetos para difundir a leitura. Um dos mais populares é o Lê Pra Mim, que há anos leva artistas como Maria Fernanda Candido, David Lucas e Miguel Falabella a ler livros infantis em espaços públicos. E as próprias editoras e autores usam as leituras por vídeo para divulgar os trabalhos.

No início do mês, Chico Buarque publicou vídeos lendo capítulos de seu novo romance, O irmão alemão. É algo que tem sido feito em vários lançamentos da editora do cantor-escritor, Companhia das Letras. “Fazemos muitos desses booktrailers e a divulgação sempre é boa. O vídeo do Chico virou notícia”, conta Clara Dias, divulgadora da Companhia.

Outras editoras, como a Record, também realizam booktrailers. O infantojuvenil Garoto encontra garoto, do americano David Levithan, ganhou vídeo com pessoas lendo trechos, entre elas uma drag queen. Em outubro, a gaúcha Eliane Brum leu três capítulos de seu livro Uma duas no festival literário Pen World Voices, em Nova York. 

ESPAÇO DEMOCRÁTICO E ILUMINADO  A Coluna Falada é gravada na Biblioteca Parque Estadual, espaço histórico de leitura localizado no Centro do Rio. Inaugurado em 1873, o edifício de 15 mil metros quadrados ganhou uma megarreforma de ampliação neste ano, disponibilizando um acervo literário com mais de 250 mil itens, obras de arte, teatro, filmes.

“Minha ideia é incentivar a formação do leitor e dos lugares em que se pode ler, por isso a escolha pela Biblioteca Parque Estadual como locação”, explica Karla. “Quando propus a eles gravar por lá, a iniciativa foi superbem recebida. É um espaço democrático e moderno, um centro de prazer e de conhecimento. A biblioteca também tem uma luminosidade impressionante.”

Além da beleza arquitetônica, o clima é positivo nos corredores do lugar, por onde circulam pessoas de todas as idades, que passam por lá para ler livros e assistir a filmes. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário