quarta-feira, 18 de março de 2015

ROBERTINHO DO RECIFE E O YOUTUBE

Fui bater um papo com Robertinho de Recife sobre o show que ele vai fazer abrindo para o Judas Priest e para o Accept no Vivo Rio (no dia 23 de abril), e sobre a volta de seu grupo Metalmania - que retorna totalmente modificado e dedicado a um belo heavy metal instrumental - e voltei do papo com uma novidade bem estranha: ele está pedindo aos fãs que postaram vídeos seus no YouTube para retirarem todos.

Até aí nada demais, que Robertinho sempre foi brigão e polêmico. Lembro até hoje de uma entrevista que ele deu para a sempre equilibrada revista Amiga, nos anos 80, em que ele meteu o pau em meio mundo do rock brasileiro. Disse que a Blitz tocava mal, que Paula Toller era uma péssima cantora, enfim meteu o pau em todo o mundo. E vamos lá, nos anos 70 e 80 todo o mundo falava mal de todo o mundo. Ao contrário de hoje em dia, em que qualquer atrizeca da Globo faz questão de mostrar que ama e respeita todos os colegas, naquela época era impossível pegar uma entrevista sem que alguém saísse criticado ou simplesmente esculachado. 


Robertinho não detonou geral, mas fez questão de falar muito comigo sobre sua fama de brigão, e lembrou das vezes em que baixou o cacete dentro de gravadoras. Desconfirmou a lenda de que teria subido na mesa de um executivo da CBS e feito xixi em cima do cara. Mas como o assunto virou para a questão dos vídeos (e para a recente retirada de músicas de Roberto Carlos e Ana Carolina de sites de letras e cifras), fui tratar de escutar outros artistas sobre o assunto, além do próprio YouTube. Acho que ficou bem legal e deu um espaço interessante para um dos nossos heróis destemidos da guitarra, na capa do Caderno D de domingo do jornal O Dia.

Confira aí.

Nenhum comentário:

Postar um comentário