segunda-feira, 6 de julho de 2015

HERÓIS DA GUITARRA BRASILEIRA

Vai entender qual o motivo, talvez uma certa timidez minha, talvez o fato de eu ter escrito bem pouco no meu blog nos últimos meses, mas fiz bem poucas referências aqui ao fato de ter lançado, junto com meu amigo Leandro Souto Maior, o livro Heróis da guitarra brasileira. O livro tem sua continuidade no site oficial, em que postamos (com pouca frequência, estamos os dois enrolados e geralmente sou dez vezes mais enrolado que Leandro, um cara 100% prático) algumas matérias sobre guitarristas, coisas que faltaram no livro, etc. Algumas cópias ainda devem rolar por aí, em algumas  livrarias - vi uma outro dia na Cultura do Centro do Rio. 

Saiu pela editora Irmãos Vitale, que apostou na gente quando ainda tínhamos muita coisa escrita, muita disposição, mas precisávamos de foco, reuniões semanais, etc. Conseguimos e saiu o livro, que ainda teve matérias bem bacanas e bem elogiosas por aí afora - aqui, você vê duas matérias "de casa", dos amigos Pedro Landim e Mauro Ferreira. Tivemos críticas (no sentido de decepção de alguns leitores), claro. Normal. O ideal é que o livro abra as cabeças de muita gente para o que já se fez de bom na guitarra brasileira.

Durante a elaboração do livro rolaram momentos inesquecíveis, como os guitarristas brasileiros que viraram verdadeiras figurinhas difíceis de achar. O livro ficou parado, sem término por dois meses enquanto não encontrávamos John Flavin, que tocou no primeiro disco do Secos & Molhados. Precisei ligar para um clube no qual ele supostamente fazia natação, para achá-lo. Nem seus antigos amigos tinham seu contato. John conversou bastante por e-mail e depois, em outro contato, elogiou o livro (graças a Deus).

Houve também um papo bem legal de Leandro com ninguém menos que Hélio Delmiro, grande nome da guitarra brasileira, e que nos mostrou o quanto o livro era importante para resgatar pessoas que, a despeito da sua importância, andavam sumidas. Procurado por Leandro, Hélio não queria dar entrevista por estar bastante chateado com o esquecimento ao qual foi relegado. Um crime em se tratando de um sujeito que tocou em Elis & Tom, disco clássico reunindo Elis Regina e Tom Jobim em versões definitivas e desencorajadoras de Só tinha que ser com você e Águas de março, entre outras. Só que Hélio foi falando, falando, falando, contou várias histórias sobre sua carreira e acabou dando a entrevista que anteriormente negara.

Depois Hélio nos fez uma surpresa aparecendo num lançamento do livro no Imperator, convidado pela amiga Fátyma Silva. Ficou emocionado de receber um exemplar e feliz por ter sido lembrado por nós. E ainda fez um dueto com Renato Barros, do Renato & Seus Blue Caps, o amigo Lula Zeppeliano fez questão de gravar em vídeo e postar no YouTube. Emocionou. Veja
aqui (e vai aí o agradecimento a Fatyma Silva e Henrique Kurtz, que propiciaram o encontro com Hélio e Renato, dois heróis do nosso livro).

Um momento bem legal que envolveu todo o processo de lançamento dos Heróis foi o dia em que aparecemos de última hora na casa de Luis Carlini, ex-guitarrista do Tutti-Frutti, para levar um exemplar. O que inicialmente era uma visitinha rápida virou mais de meia hora de papo e um pequeno passeio pela casa dele, na Pompéia, São Paulo, quase colada à casa onde os irmãos Arnaldo Baptista e Sérgio Dias, criadores dos Mutantes, passaram a infância. De SP para Minas: Leandro, levado por nosso amigo Rodrigo Borges (sobrinho de Lô e de Marcio, filho de Marilton), durante o lançamento dos Heróis em Belo Horizonte, conheceu a casa da família Borges, em que canções clássicas como Clube da esquina e Para Lennon & McCartney foram criados. Não fui na casa porque estava ocupado com outra coisa, mas soube depois.

E talvez o momento em que Leandro e eu agradecemos a Deus por ter escrito o livro tenha ocorrido também em BH, quando lançamos os Heróis no Godofredo Bar, de propriedade de outro amigo, Gabriel Guedes (filho do cantor Beto Guedes). Toninho Horta, grande lenda da guitarra brasileira, passara mais cedo no bar para conferir o lançamento, quando ainda não havia ninguém. O encorajamos a retornar mais tarde, quando já haveria uma galera. A festa começou, livros foram autografados e Toninho, que prometera voltar, era aguardado. Suspense geral, ninguém sabia se ele viria e todos já começavam a imaginar que não só ele não apareceria, como tinha se ofendido com o vácuo de pessoas que encontrara na abertura do lançamento. "Músicos são meio sensíveis, sei lá, essa turma é complicada", comentavam.

Lá pelas 23h, quando nem imaginávamos mais que Toninho daria as caras, ele não só apareceu como deu uma canja no baixo e ainda, digamos, homenageou a mim e ao Leandro, afirmando que nós "éramos os verdadeiros heróis da guitarra por termos escrito o livro". Nem é preciso dizer que a essas alturas, estava todo mundo abraçado e chorando. Como Leandro daria uma canja no palco depois dele (ao lado do seu "broto" Mari Dantas, do próprio Gabriel e de Rodrigo Borges), essa data passsou para a história da divulgação do livro como "o dia em que Toninho Horta abriu um show do Leandro". E por aí foi. Daria um outro livro, cheio de momentos emocionantes e muito aprendizado para nós dois.

Leandro e eu temos outros projetos em dupla, inclusive ligados aos próprios heróis da guitarra brasileira, que esperamos colocar para andar em outros momentos. Por enquanto, tem o livro ainda aí e quem quiser comprar, é só falar com a gente. Ou comprar aqui. Ou percorrer as livrarias do Rio - como falei, na Cultura do Centro ainda tem. Fico devendo ainda um depoimento sobre as milhares de coisas que aprendi escrevendo esse livro e que pretendo colocar em prática para os próximos. Ou sobre como é legal rasgar a agenda de trabalho e apostar em coisas diferentes de vez em quando. Vai rolar.

Um comentário:

  1. maravilhoso esse livro, vou procurar na Cultura da cidade, fiz um post no meu blog (blog pequeno, de amigos), sobre guitarristas nacionais tem um tempo e vou ler esse livro para melhorar meus conhecimentos - http://umcadinhodesongs.blogspot.com.br/2013/03/brazuca-guitar-heroes.html

    ResponderExcluir